Revista O Grito!

Curta: Comic Book Heaven traz senhor de 80 anos e o fim de sua loja de HQs

Vale muito a pena gastar cerca de 15 minutos para ver esse mini-documentário, Comic Book Heaven, de EJ McLeavy-Fisher. O diretor fez um perfil de Joe Leisner, dono da loja de quadrinhos que dá nome ao filme, um senhor de 80 anos que vive os últimos momentos de seu negócio.

É uma visão interessante sobre o momento atual do mercado de quadrinhos e também um olhar afetuoso sobre um dos espaços mais importantes para quem é fã de HQs. A Comic Book Heaven fica no Queens, em Nova York e passou por momentos complicados depois de viver um período de auge e fazer parte da lembrança de muita gente.

Um spoiler que não prejudica a experiência do filme: a loja fechou após 26 anos e Leisner, enfim, anunciou a aposentadoria. Aqui no Brasil, qual loja mereceria um perfil?

comic book heaven

Marvel cancela duas capas de Milo Manara após polêmica da Mulher-Aranha

SpiderWoman1MiloManaraCrop2-640x396

A Marvel Comics decidiu cancelar duas capas alternativas que seriam ilustradas por Milo Manara. A notícia chega após as polêmicas envolvendo uma ilustração do artista para a HQ da Mulher-Aranha.

A imagem de Spider Woman #1 mostra a heroína em uma pose sexy, típica dos trabalhos do artista. Feministas e uma parcela dos leitores reclamaram da capa, tida como exagerada e apelativa.

As novas capas que Manara iria desenhar para a Marvel seriam Avengers & X-Men – Axis #1 e Thor #2. Para a primeira, o artista substituto será Siya Oum.

SPIDERWOMAN001Manara-06299-600x853

Bienal do Livro de Minas terá área especial para HQs

bienal

A Bienal do Livro Minas terá atrações dedicadas às HQs, a Bienal em Quadrinhos. Esta é a segunda edição do evento, que fez sucesso em 2012. São 80m² por onde circularão quadrinistas, ilustradores e contará com bate-papos sobre o processo criativo, carreira e outros temas relacionados.

No espaço, serão realizados, ainda, lançamentos, improvisações e sessões de autógrafos. A curadoria é de Afonso Andrade, quadrinista mineiro responsável pela realização do Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ), em parceria com Eduardo Damasceno, co-curador da exposição “Entre ideias e rascunhos”, realizada no Sesc Palladium, e autor convidado do projeto Graphic MSP, da Maurício de Sousa Produções.

A 4ª Bienal do Livro de Minas Gerais 2014 acontece de 14 a 23 de Novembro de 2014, no Expominas.

Ocupação Laerte em São Paulo reúne obra e militância da cartunista

laerte_

A quadrinista Laerte ganha uma das maiores exposições de sua carreira a partir deste sábado (20), em São Paulo.

De 20 de setembro a 2 de novembro, o Itaú Cultural apresenta a Ocupação Laerte, abordando toda a produção artística da autora, mas também suas militâncias políticas e sociais. Com curadoria de seu filho, o artista visual, roteirista e quadrinista Rafael Coutinho, a exposição conta com a cenografia de Fred Teixeira.

A última grande exposição de Laerte foi no último Festival Internacional de Quadrinhos, o FIQ, em Belo Horizonte, em novembro do ano passado.

Esta nova mostra apresenta cartuns, desenhos, quadrinhos, ilustrações, curtas-metragens. Ela ocupa 120 m² do espaço expositivo, onde o visitante encontra cerca de 2 mil obras, entre elas uma autocaricatura da quadrinista dançando com o Minotauro, feita especialmente para a exposição. Do total de obras, cerca de 300 são originais, 400 imagens digitais em tablets e aproximadamente 1500 impressas –, selecionadas entre milhares, com destaque para um painel ao fundo da exposição com exatas 900 tiras.

LAERTE130206

Idealizada como um labirinto, em que o visitante decide por qual das cinco entradas e saídas começa e termina o percurso, a Ocupação Laerte traz desde desenhos que ele fez quando tinha 8 anos, em registros remotos de 1958-1959 até hoje. “O eixo dos anos 80 se destaca porque é onde está a maior quantidade de suas obras”, disse Rafael.

Outra trajetória importante do labirinto, ainda de acordo com o curador, será a dos tempos do sindicato. “São as tirinhas que ficaram presas na memória de um período político importante – o da ditadura militar – e permaneceram nos arquivos da OBORÉ por muito tempo”, diz. A seleção das obras deu espaço ainda a tiras publicadas nos principais jornais do país, na militância na revista Balão, nas revistas de banca da editora Circo, na Placar.

013.Oc Laerte_Hugo-Muriel 2_Foto Arquivo pessoal

Transgênero e contra-cultura

Além do hotsite que naturalmente acompanha a Ocupação física, o Itaú Cultural publica uma revista virtual que revela muito do labirinto criado por Laerte, com tiras, desenhos, um ensaio fotográfico, além de textos que analisam tanto a pessoa quanto o seu trabalho. A psicanalista Letícia Lanz, também mestre em sociologia e economista, assina textos onde se debruça na questão da transgeneridade a partir da artista. “Apesar das impropriedades e desacertos em torno dessa identidade de gênero, Laerte é hoje reconhecida como um dos principais ícones do mundo transgênero no Brasil”, escreve ela.

A Ocupação Laerte é a vigésima da série de ocupações promovida pelo instituto desde 2009. Nomes como Angeli, Paulo Leminski, Haroldo de Campos, Zé Celso Martinez e outros já ganharam mostras.

Visitação é de de 21 de setembro a 2 de novembro de 2014, de terça-feira a sexta-feira, das 9h às 20h. Sábados, domingos e feriados, das 11h às 20h. Entrada franca. O Itaú Cultural fica na Avenida Paulista, 149, em São Paulo.

posando-nu-13_07_99

LAERTE121122

fteen-1102-14-copy

Alison Bechdel vence o prestigiado prêmio da Fundação McArthur

alison_bechdel1

A quadrinista Alison Bechdel recebeu o prêmio anual da Fundação McArthur destinado a intelectuais e pensadores que de alguma forma usem sua genialidade para propor novos olhares e instiguem pessoas a desenvolverem seus talentos.

O trabalho autobiográfico de Bechdel, que explora as complexidades das relações familiares em narrativas sofisticadas em quadrinhos foi citado como uma das razões para o prêmio. Disse também que ela se tornou uma voz influente na cultura e política ao levantar temas sobre mulheres lésbicas em sua tira Dykes To Watch Out For (1983 – 2008).

bechdelfunhome189detail

Além da honraria, que já é incrível, a Fundação ainda entrega um prêmio de 625 mil dólares, pagos em parcelas semestrais durante os próximos cinco anos. A ideia é possibilitar meios para que os vencedores sigam com o trabalho de “influenciar a criatividade e inclinações profissionais das pessoas”.

Antes de Bechdel, o cartunista Ben Katchor foi o vencedor da edição de 2000.

Os dois trabalhos autobiográficos mais conhecidos de Bechdel foram publicados no Brasil, Fun Home (pela Conrad) e Você É A Minha Mãe?, pela Companhia das Letras. Um musical da Broadway do primeiro está sendo produzido. [Via TheBeat]