Revista O Grito!

O livro sobre a mente criativa de Brian Michael Bendis

bendis2

Brian Michael Bendis é uma das autoridades entre os atuais roteiristas de quadrinhos em atividade. E agora ele tem um livro sobre seu processo criativo, que acaba de sair pela Random House, nos EUA.

O que mais admiro em Bendis é o fato dele dar bastante atenção aos diálogos, como se os personagens vivessem em um filme de diretores como Woody Allen ou Richard Linklater. Para entender o que eu digo, basta ir atrás de obras dele como Powers ou a fase em que esteve à frente dos Novos Vingadores. Via.

bendis

Livro discute sexualidade nos quadrinhos

sexualidade

Amaro Braga, professor da Universidade Federal de Alagoas, reuniu artigos científicos de 13 pesquisadores do Brasil e Portugal com análise das representações das identidades sexuais nas HQs. Questões de Sexualidade nas Histórias em Quadrinhos acaba de ser lançado pela UFAL.

O livro discute os limites entre identidade sexual, pornografia e erotismo, tanto nos quadrinhos norte-americanos de super-heróis, passando pela diversidade de identidades sexuais dos mangás até os quadrinhos independentes e brasileiros. A análise apresenta estudos enfatizando não apenas a eroticidade, mas sobretudo, a homossexualidade masculina e feminina nestas HQs, além de discutir os limites que os quadrinhos fazem entre violência, sexualidade e perversão.

A capa do livro foi produzida pelas desenhistas alagoanas do Studio Pau-Brasil Mariana Petróvana (Mari Youko Sama) e Janaína Araújo, homenageando os mangá Yaoi, um dos temas de estudo da coletânea.

O livro pode ser comprado pelo blog de Amaro Braga por R$ 30. Ideal para quem curte o lado teórico das HQs.

PUC do Rio de Janeiro lança concurso de quadrinhos, fotografia e curtas

puc

Um novo concurso de quadrinhos está com inscrições abertas. O Mostraí, promovido pela PUC-Rio, faz parte das atividades da 17ª edição da Mostra PUC, feira de recrutamento de estagiários e trainees da PUC-Rio.

O Mostraí premiará trabalhos nas categorias de curta-metragem, fotografia e quadrinhos. O tema do concurso é “Compromisso com relações mais humanas”. As inscrições se encerram no dia 30 de junho. Os três primeiros colocados receberão 2.000, 1000 e 500 reais, respectivamente,

Mais detalhes no site oficial.

Barricada, novo selo de HQs brasileiro vai publicar obras nacionais e estrangeiras

barricada

A editora Boitempo vai lançar em julho um novo selo de quadrinhos. O Barricada vai publicar obras nacionais e estrangeiras e já teve o primeiro título anunciado. Será Último Aviso, da alemã Franziska Becker.

Na obra, a alemã retrata em traços irônicos a realidade política e cultural do seu país. Em agosto, o selo lança Cânone gráfico, antologia organizada pelo escritor Russ Kick com clássicos da literatura universal, como As Viagens de Gulliver e a Divina Comédia.

Ainda estão previstos lançamentos nacionais. Em outubro sai CLAUN – A saga dos bate-bolas, projeto do roteirista Felipe Bragança sobre fábulas urbanas cariocas que mistura mitologia e cultura afro. As informações foram publicadas pelo jornal Folha de S. Paulo e confirmado por email pela Boitempo.

Quadrinistas franceses ameaçam fazer greve por melhores condições de trabalho

RAAP_Maester_001
Charge de Maëster: “É para o seu próprio bem…”.

Ótima matéria do UniversoHQ falando sobre a ameaça de greve dos autores de quadrinhos na França. Os quadrinistas de lá reclamam das condições de trabalho, baixos salários e da nova obrigação de pagarem 8% de suas rendas para financiar sua pensão complementar obrigatória, a RAAP – Régime de retraite complémentaire des artistes et auteurs professionnels (Pensão suplementar de artistas e autores profissionais). A ministra da cultura da França, Aurélie Filippetti, recebeu uma carta aberta, assinada por 748 autores, com reclamações sobre a atual situação da classe.

Destaco três pontos:

– Qualquer reforma precisaria considerar o fato de que metade dos autores de quadrinhos não recebem nem mesmo o salário mínimo – na França ele é de 1.445,38 euros por mês, ou 9,53 euros por hora de trabalho. Na Bélgica, os valores variam dependendo da idade do trabalhador e do seu tempo de serviço, mas estão situados na faixa de 1.500,82 euros a 1.559,38 euros por mês.

– Num país onde o desemprego está crescendo, os autores de quadrinhos não apenas criam seus próprios empregos, mas são responsáveis por centenas de outros.

– Em termos econômicos, a indústria do entretenimento é a quarta mais rentável da França. Sem mencionar a vitrine que representa para o público estrangeiro. O mercado livreiro – como um todo – emprega aproximadamente 80 mil pessoas e gera uma receita de 5,6 bilhões de euros (na França). Nós, os autores, somos a origem dessa riqueza.

É incrível o tamanho do mercado de quadrinhos na França a ponto de um protesto como esse chamar atenção. Lembrando que por lá, as HQs (ou bande dessinées, como chamam) são populares em diferentes públicos, como deveriam ser todas as artes.

Entre os artistas que assinaram a carta estão nomes importantes dos quadrinhos atuais, como Enki Bilal, Jacques Tardi, Joann Sfar, Alejandro Jodorowsky e Gotlib.