QUEM É MAIS SENTIMENTAL QUE EU?
Cine PE convida público para se emocionar com história de caminhoneiro tentando acertar contas com o passado

Por Paulo Floro

No primeiro dia do Cine PE, no Centro de Convenções, em Olinda, o público conferiu em primeira mão o novo trabalho de Breno Silveira (de Dois Filhos de Francisco). Estrelado por João Miguel, o trabalho aposta desde o início nos sentimentos do telespectador e no seu potencial de ir às lágrimas. Os ingredientes eram infalíveis: um menino órfão em busca do pai que o abandonou, um homem solitário atormentado pelo passado e com muita saudade, hits de Roberto Carlos. Só o som atrapalhou.

Leia Mais Cine PE
Confira a programação completa do festival

O filme teve a exibição prejudicada com uma falha técnica que fez o som sair metalizado e com delay. Em determinados momentos, era difícil entender o que se falava na tela. A platéia ainda iniciou um protesto tímido e uma pessoa gritou: “ajeita o som!”. Não adiantou. Uma sessão extra será realizada com a sonoplastia correta, segundo a organização.

Mas, isso não pareceu afetar a recepção do longa, que foi bastante aplaudido ao final. Com estreia prevista para agosto em circuito comercial, À Beira do Caminho faz um road movie convencional em que seu principal feito é ser fofo. Não há matizes nos personagens e tudo é feito de forma previsível, deixando o espectador na expectativa pela próxima cena com emoção no limite. É um tipo de melodrama que funciona bem em uma proposta fast-food do gênero drama.

João Miguel interpreta um caminhoneiro que caiu na estrada como forma de esquecer um passado traumático. Ele encontra um menino (Vinícius Nascimento) cuja mãe morreu e agora tenta encontrar o pai, que o abandonou. Para isso, eles viajam juntos até São Paulo, na velha narrativa de autodescoberta seguida de transformação pessoal. O elenco ainda traz Dira Paes (que não esteve presente no Cine PE este ano), Ludmila Rosa, Denise Weinberg e Ângelo Antônio. Este é o terceiro longa de Breno Silveira, que se inspirou nas canções de Roberto Carlos para guiar o projeto.

Seu maior feito neste trabalho foi apostar em João Miguel, ator que cai perfeitamente no papel do homem simples cujos sentimentos não se traduzem em palavras. A fotografia de Lula Carvalho é outro destaque do longa, com cores que tentam encontrar beleza nas estradas.

Público chega ao Cine PE (Foto: Clara Gouvêia/CinePE)

Comentários

Ou comente por aqui: