Revista O Grito!

Segunda temporada de “Arrow”, finalmente, estreia no Brasil

arrow-movie-wallpaper

Demorou, mas chegou. A partir desta segunda-feira, 21, os fãs que não são adeptos do download ilegal finalmente poderão acompanhar a segunda temporada de uma das melhores séries baseadas em quadrinhos da atualidade.

Arrow estreia no canal Warner, às 22h25. Serão exibidos dois episódios inéditos por semana, às segundas e terças-feiras.

O programa chega ao Brasil com bastante atraso. Nos Estados Unidos, a segunda temporada estreou em outubro do ano passado. Curiosamente, a primeira temporada foi exibida pela Warner brasileira a partir de 2012 com apenas 10 dias de diferença em relação à TV norte-americana.

Governo de SP amplia investimento em quadrinhos

proac

A Secretaria de Estado da Cultura publicou ontem (16) o edital do ProAC Quadrinhos 2014. As inscrições vão até o dia 10 de setembro.

Em relação ao ano passado, houve um acréscimo de 33% no investimento: agora, serão selecionados 20 projetos em vez de 15. O valor por projeto foi mantido em R$ 40 mil, totalizando R$ 800 mil (contra os R$ 600 de 2013).

O prazo para execução ficou igual ao do ano passado: 10 meses regulamentares e mais dois de prorrogação, se solicitado pelo autor, contados a partir do pagamento da primeira parcela de R$ 28 mil (70% do total).

Em 2012 o prazo foi maior: 12 meses mais três. A maioria dos autores solicitou prorrogação.

O ProAC Quadrinhos é uma iniciativa do Governo de São Paulo e se transformou numa das principais ferramentas de fomento da produção nacional.

Para baixar de 2014, clique aqui.

HQ nacional tenta desvendar sumiço da Jules Rimet

CAPA DEFINITIVA Rastreadores da Taca Perdida

Atualizado em 11.07 

Autor e editora não querem atrapalhar a torcida pelo Brasil na disputa pelo terceiro lugar na Copa. O lançamento de Rastreadores da Taça Perdida foi adiado para o dia 19, no mesmo local e horário.

Post original

Depois do vexame da seleção brasileira frente à alemã no último dia 8, a euforia da Copa arrefeceu. Mas como o assunto do momento é a perda da taça, o lançamento da Bila Edições não deixa de ser oportuno.

Rastreadores da Taça Perdida – O Segredo da Jules Rimet, de Giorgio Cappelli, conta a aventura de dois primos para desvendar os segredos que envolvem o sumiço do troféu conquistado definitivamente pelo Brasil depois do tricampeonato de 1970.

A Jules Rimet foi mesmo derretida? Por que a réplica era guardada no cofre em vez da original? A morte dos assaltantes foi queima de arquivo?

Em tom de humor, o playboy Bovinio “Vini” Del Toro e o nerd Giovanni Armani Taviani Mantovani percorrem o País atrás de pistas, dispostos a recuperar a taça.

O álbum tem 44 páginas coloridas, formato 21 x 28 cm e preço de R$ 19,90.

Enquanto a seleção brasileira se prepara para disputar o terceiro lugar da Copa 2014, acontece o lançamento de Rastreadores da Taça Perdida, neste sábado (12), a partir das 15h, na Comix Book Shop (Alameda Jaú, 1998, Jardins, São Paulo).

Documentário desvenda personalidade de Fredric Whertam

Diagram for Delinquents Cover

Não é preciso ser um especialista para conhecer o nome de Fredric Whertam. Qualquer leitor de quadrinhos minimamente informado já ouviu falar do psiquiatra que iniciou uma cruzada contra a indústria dos comics e quase a destruiu nos anos 1950.

O documentário Diagram for Deliquents, produzido pela Sequart Organization, se propõe a lançar uma luz sobre esse conturbado período da história americana.

No pós-Guerra, a delinquência juvenil explodiu nos Estados Unidos. Whertam assegurava que entrevistas com seus pacientes indicavam os quadrinhos como causa (há um estudo atual que comprova a manipulação dos dados pelo psiquiatra).

Em seu livro A Sedução do Inocente, ele não se limitou a relacionar os crimes cometidos por jovens às histórias de terror e suspense, mas foi além e fez ilações sobre o incentivo à homossexualidade em personagens como Batman e Mulher-Maravilha.

A paranoia chegou a tal ponto que o Congresso americano criou uma comissão para estudar o caso, tendo Whertam como principal testemunha de acusação, e que culminou no selo de autorregulamentação Comics Code. Dezenas de títulos foram cancelados, editoras faliram e as demais, Marvel e DC inclusive, se adequaram ao sistema com HQs pueris.

Diagram for Deliquents traça uma panorama da cultura americana no final dos anos 1940 e início dos 50 e tenta explicar, por meio de entrevistas com artistas e editores, documentos e vídeos históricos, os motivos que colocaram os quadrinhos no meio do fogo cruzado. Mais que isso, tenta desvendar a controvertida personalidade de Fredric Whertam.

O documentário está disponível para download por US$ 6,99 a versão simples, e US$ 9.99 a estendida, com uma hora adicional de extras. Também é possível comprar o DVD (US$ 15,99 o simples, US$ 20,99 com extras), com previsão de entrega a partir de agosto.

Assista ao trailer:

Editora independente lança coletânea de Laudo Ferreira Jr.

monstros3

Para os leitores que só vieram a conhecer o trabalho do quadrinhista Laudo Ferreira Jr. a partir de seus trabalhos mais recentes – como Yeshuah, Memórias do Clube da Esquina, Auto da Barca do Inferno – eis aí uma boa oportunidade de correr os olhos numa mostra de sua produção de mais de 20 anos.

A editora indenpendente Atomic Quadrinhos, de Porto Alegre, lança neste mês o terceiro volume de Monstros dos Fanzines, com uma coletânea de histórias selecionadas pelo próprio autor.

Entre elas estão a clássica Tianinha e uma HQ inédita com roteiro original de José Mojica Marins, o Zé do Caixão. O lançamento traz também ilustrações, pin-ups e uma entrevista com Laudo. O prefácio é de Júlio Shimamoto.

Monstros dos Fanzines – Laudo tem 180 páginas e dois formatos: 15 x 23 cm (R$ 32) e 21 x 30 cm (R$ 62). Informações para adquirir o livro estão no blog da Atomic Quadrinhos.

Vale o Investimento: Under Crush (zine)

zines

Mais um zine é destaque em nossa tag Vale o Investimento.
Gabriel Renner, cartunista e criador do fanzine Letal Mágico, nos recomendou outro fanzine, Under Crush N° 2, criação do cartunista Guabiras.

O zine é muito bem editado, com 32 páginas em formatinho (15 x 21 cm), capa colorida, miolo preto e branco e sépia, publicado pelo selo independente Osama Fanzines – O atentado à Cultura.

Os temas são os mais variados, mas predominam as tirinhas e historinhas curtas, com uma galeria de personagens próprios hilários: Ana Lívia, Sílmia e Zé de Aurim, o mais escrachado.

Além dos quadrinhos há fotomontagens e resenhas de música (com um dossiê Avril Lavigne), dicas de cinema, culinária e até dicas de turismo no Ceará -  a maioria delas com links curtos para conferir os vídeos na internet.

Destaque para o sensacional Como pode ser útil nosso mascote da Copa tirando um sarro do Fuleco, o mascote da Copa do Mundo de Futebol.

O zine chama a atenção por suas qualidades: visualmente bonito, tem bons personagens de humor e fotomontagens. Além da arte, o texto ágil e inteligente do cartunista Guabiras também é destaque.

O zine custa R$ 5,00 e para adquirí-lo, entre em contato com o cartunista através de sua página no Facebook: facebook.com/guabiras.cartunista

Vale o Investimento: Letal Mágico

1012792_568369173251879_74691195_n

Nos anos 1980 surgiram publicações importantes de humor como Chiclete com Banana e Geraldão, que chamavam a atenção com seus quadrinhos de humor escrachado, incômodo e suas críticas ácidas. Revelou ainda artistas do calibre de Laerte, Glauco e Angeli, e marcou toda uma geração de leitores.

Com o passar dos anos essas publicações escassearam até desaparecerem das bancas, ficando restritas aos relançamentos pontuais ou em formato livro. Já no underground, em formato impresso ou digital, quadrinhos nesses moldes continuam sendo produzidos e rendem boas revistas/sites independentes.

É o caso do fanzine impresso Letal Mágico, criação do quadrinhista Gabriel Renner — que reza a lenda, não tem nenhuma ligação parental com a maior rede de varejo de roupas do Brasil.

O zine tem capa colorida, miolo preto e branco e reúne histórias de diferentes personagens. Esse primeiro número trás a história Perecível, HQ premiada no salão de humor carioca em 2005. Além dela, temos um conjunto de tiras sobre as fadas, personagens míticos que, segundo o autor, sofrem por nossa falta de fé no mundo da fantasia e precisam se virar no mundo real. O LM ainda abre espaço para poemas e resenhas de bandas independentes.

O zine chama a atenção por suas qualidades: bem editado, com uma arte caprichada, que emoldura com perfeição os roteiros sacanas. É uma revista que bombardeia o leitor com um humor ácido, inteligente e divertido.

Editado pela editora independente de Renner, a Pinel Comics, o fanzine Letal Mágico custa módicos R$ 4,00 e vale o investimento.

Para adquirir via correio, entre em contato com o criador: pinel.gabriel@gmail.com

Novos tênis com heróis vintage da Marvel

MM0023 COMICS-DETALHE

A divisão de licenciamento da Disney está fazendo um trabalho muito bom com a fase clássica da Marvel. Alguns exemplos recentes são os adesivos de parede da RoomMate, os ímãs da Ímãs do Brasil e as camisetas da Riachuelo.

Agora, a fabricante de calçados Sugar Shoes lança a coleção Marvel Comics com imagens icônicas do Hulk, Thor, Capitão América e Homem de Ferro.

Os tênis têm cabedal de lona e duas versões, com cadarço e elástico. A numeração infantil vai do 23 ao 32 (R$ 89,90) e a adulta, do 33 ao 42 (R$ 99,90).

MM0016 COMICS

As lojas começam a receber os calçados nesta semana, inclusive as onlines Dafiti, Tricae e Mundial Calçados.

Para mais informações, o SAC da Sugar Shoes é o 0800–6422600.

Crítica: No Limite do Amanhã – repetido e divertido

BR-Pub Main One Sheet - EOT

Em respeito aos leitores do site, o texto a seguir não contém spoilers.

Demorou, mas saiu nossa crítica. Ofuscado pelo lançamento de X-Men, dias de um futuro esquecido e pela chegada ao Brasil do circo da Copa do Mundo de Futebol, o último filme de Tom Cruise, No Limite do Amanhã passou praticamente despercebido.

Depois do fiasco em Oblivion, Tom Cruise retorna com uma boa história de FC (ficção científica) que aborda viagem no tempo, com muita ação.

Em um futuro próximo, um grupo alienígena atinge a Terra com um ataque avassalador, impossível de ser rechaçado por qualquer unidade militar do mundo.
A criação de um exoesqueleto de batalha nivela os combates e a humanidade finalmente conquista uma vitória graças à bravura de Rita Vrataski (Emily Blunt), o “Anjo de Verdun”.

rita_POSTER

A humanidade se prepara para um contra-ataque em larga escala e o major William Cage (Tom Cruise) – um publicitário que nunca combateu – é convocado para acompanhar e registrar a ofensiva humana. Ao se recusar entrar em ação, o Major é rebaixado e enviado para um regimento que fará a primeira incursão contra um inimigo mortal.

Um acidente faz com que Cage se veja inexplicavelmente preso em num túnel do tempo que o força a viver o mesmo dia de combate brutal, lutando e morrendo indefinidamente. Mas a cada renascimento, Cage sobrevive mais tempo e se torna capaz de derrotar mais inimigos. Ao lado da guerreira Rita Vrataski, ele assume a luta contra os aliens, e cada batalha aprendida e repetida, se torna uma oportunidade de encontrar um meio real para derrotar o inimigo.

O roteiro do filme é baseado na obra “All You Need Is Kill” de Hiroshi Sakurazaka, e assim como nos games atuais, onde partir de um save point é possível refazer melhor os combates e vencer, No Limite do Amanhã explora essa possibilidade.

EDGE OF TOMORROW

Tom Cruise tem uma boa atuação e conta com um bom elenco de coadjuvantes. Ele explora com maestria todos os sentimentos que o ex-Major vive por voltar no tempo: primeiro a surpresa, depois o horror de ser prisioneiro do tempo, e por fim, o cinismo diante das repetições ininterruptas. O ritmo da narrativa e as dúvidas constantes dos personagens prendem o espectador.
O desembarque das tropas, a crueza da batalha, relembra abertura do filme Resgate do Soldado Ryan.
As cenas de combate muito bem realizadas, já que o filme é dirigido por Doug Liman (de Identidade Bourne, e Sr. e Sra. Smith), um diretor que domina essa técnica narrativa com maestria.

Aprender, evoluir, morrer e voltar para tentar de novo, não é uma tarefa simples. Como agiríamos se fosse possível aprender a cada erro e tomar um caminho diferente?

Ainda que não seja espetacular, essa nova investida de Tom Cruise na FC é divertida, bem feita e o filme trás bons momentos, superando em muito a performance brasileira na Copa até aqui.

Vale conferir no seu filme on demand favorito.

Terceiro volume de “Game of Thrones” em quadrinhos chega às lojas

Guerra dos Tronos vol.3

A editora Casa da Palavra dá continuidade à série no Brasil e lança Guerra dos Tronos HQ – volume 3, encadernado que reúne as edições 13 a 18 publicadas mensalmente nos Estados Unidos pela Dynamite.

A série adapta diretamente os livros de George R.R. Martin, e não o seriado da HBO. Apesar da fidelidade de ambas, o que as torna bastante parecidas, a HQ permite um olhar diferente sobre a obra, em especial na caracterização dos personagens e na solução narrativa de algumas passagens.

Para quem quiser suportar a abstinência, agora que a quarta temporada na TV foi encerrada, Guerra dos Tronos HQ é uma boa pedida. E não é preciso se preocupar com spoilers: só agora a quadrinhização alcançou os acontecimentos revelados ao final da primeira temporada do seriado.

Guerra dos Tronos HQ – volume 3, escrita por Daniel Abraham e desenhada por Tommy Patterson, tem 224 páginas, capa e miolo coloridos e preço de R$ 39,90.