Revista O Grito!

Papo de Quadrinho — O Grito! Blogs – Quadrinhos

NewPOP promove dia de encontro com leitores

NewPOP Day

Anúncio de 19 lançamentos, promoções em títulos do catálogo, sorteios, caricaturas e bate-papos. Este é o resumo da programação do NewPOP Day, que acontece em São Paulo no dia 28 de novembro, a partir das 12h. A entrada é gratuita e as vagas, limitadas e preenchidas em ordem de chegada.

O evento marca também o aniversário do Studio Seasons, responsável, entre outros trabalhos, pelo ótimo mangá Helena. As artistas estarão disponíveis para autógrafos.

Quem comparecer ao NewPOP Day ganha um cupom de desconto exclusivo para compras na loja virtual da editora. Durante o evento, um estande da Draco realizará vendas de seus títulos.

Confira a programação:

13h – Abertura

14h – Bate-papo: “Quadrinho Nacional”, com Studio Seasons, Fábio Sakuda (autor de DeadZone), Raphael Fernandes (Editora Draco) e Fabrízio Yamai (Escola de Desenho AreaE).

15h – Bate-papo: “A visão da mídia especializada sobre o Mercado de Mangás no Brasil”, com Chuva de Nanquim, Crunchyroll, Genki Dama, JBox, JWave, Notícias Anime United e Suco de Mangá.

16h – Bate-papo: “Novidades da NewPOP”

18h – Sorteios/Encerramento

Serviço: NewPOP Day
Data: 28 de novembro de 2015 – Horário: 13h às 19h
Local: Associação Beneficente Osaka Naniwa Kai (Rua Domingos de Morais, 1581 – Vila Mariana – a 200 metros do metrô) – Entrada gratuita

Livro reúne entrevistas antológicas do Universo HQ

Capa Universo HQ

Ao alcançar 15 anos de existência, um dos sites de notícias mais tradicionais e respeitados sobre histórias em quadrinhos decidiu comemorar a data lançando o livro Universo HQ Entrevista – Grandes nomes dos quadrinhos entrevistados por quem entende do assunto, pela editora Nemo.

O editor-chefe do site, Sidney Gusman, reuniu 23 entrevistas antológicas, de astros como Will Eisner, Ivo Milazzo, Joe Kubert, Mark Waid, Lourenço Mutarelli, Neil Gaiman, John Byrne, Giancarlo Berardi, Don Rosa e outros.

Como se trata de material publicado de 2000 para cá, o conteúdo foi atualizado com notas de repercussão e detalhamento do que foi dito pelos entrevistados.

O livro apresenta duas entrevistas inéditas, com os lendários José Luis García-López e Mauricio de Sousa. Os retratos que ilustram as entrevistas são de autoria de Eduardo Baptistão.

Universo HQ Entrevista tem 360 páginas, formato 17 x 24 cm e preço de R$ 78.

“Questão de Karma”, de Laudo Ferreira e Alexandre Santos, tem lançamento no FIQ

capa Karma

A HQ é fruto de um período de longa amizade entre os autores. O roteiro foi escrito no final dos anos 1990 e ficou engavetado até o começo deste ano, quando surgiu a oportunidade de Laudo (roteiro) e Alexandre (arte) realizarem seu primeiro trabalho em conjunto.

“É uma história de humor negro com fortes doses de tragédia” explica Laudo. Segundo ele, o título da HQ foi emprestado de uma canção de um amigo, que também empresta o nome ao terapeuta que ajuda o protagonista na obra.

Questão de Karma está sendo lançada pelo Quadro Imaginário, selo de quadrinhos indenpendentes do Estúdio Banda Desenhada, de Laudo e Omar Viñole.

Para quem não quiser esperar o lançamento oficial durante o Festival Internacional de Quadrinhos (FIQ), de 11 a 15 de novembro, a HQ pode ser adquirida na loja virtual do estúdio. Nas lojas, estará disponível após o evento mineiro.

Questão de Karma tem 24 páginas, capa colorida, miolo em preto e branco, formato 21 x 28 cm e preço de R$ 10.

WMF Martins Fontes lança obras de autoras inéditas no Brasil

lançamentoswmf

Rutu Modan é israelense; Ulli Lust, austríaca. Em comum elas têm o fato de trabalharem com quadrinhos e estarem chegando pela primeira vez aos leitores brasileiros, simultaneamente, por meio de dois lançamentos da WMF Martins Fontes.

Lust é autora de Hoje é o último dia do resto de sua vida (464 páginas, R$ 79,90), sobre duas jovens punks austríacas que embarcam numa aventura na Itália, sem passaporte ou outra identificação. À passagem bucólica da primeira parte da viagem nos Alpes contrapõe-se a ameaça de violência sexual da etapa final, tanto dos jovens italianos como de mafiosos sicilianos.

A propriedade (224 páginas, R$ 69,90), de Rutu Modan, também tem uma viagem como tema, mas nada tão aventureiro. Regina Segal leva sua neta Mica a Varsóvia para reaver uma propriedade da família perdida durante a Segunda Guerra. Para Regina, o desafio está não só em confrontar as antigas lembranças, mas também uma cidade que ela não conhece mais, povoada por velhos rabugentos, funcionários públicos espertalhões e mulheres teimosas.

Os dois álbuns já se encontram à venda nas livrarias e no site da WMF Martins Fontes.

Com lançamento no FIQ, independente “Múltipla Escolha” está em pré-venda

Múltipla Escolha

A HQ é uma produção de Marcel Ibaldo (roteiro) e Max Andrade (arte), com cores de capa de Rainer Petter. O posfácio é assinado por Alexandre Nagado (Revista Herói, Sushi Pop).

Segundo a sinopse, Jeff é um vestibulando prestes entrar na faculdade de Medicina, depois de quatro anos de tentativa. Arrogante e egoísta, terá que aprender o que realmente importa na vida por meio de transformações em seus relacionamentos afetivos e familiares.

Múltipla Escolha tem 20,5 x 13,5 cm, 40 páginas e preço de R$10. Até o dia 5 de novembro, é possível comprar a HQ em pré-venda (aqui), com frete grátis. O lançamento oficial acontece no Festival Internacional de Quadrinhos – FIQ (11 a 15 de novembro) e Comic Com Experience – CCXP (3 a 6 de dezembro).

“Quando a noite fecha os olhos” marca primeira parceria de André Diniz e Mario Cau

Noite-Capa-lores

Faltam 20 dias para o FIQ – Festival Internacional de Quadrinhos, e começam a se intensificar as notícias de lançamentos programados para o evento.

Não é para menos: entre suas muitas qualidades, o FIQ se notabilizou como uma plataforma importante para a produção nacional. Segundo levantamento do Blog dos Quadrinhos, do jornalista Paulo Ramos, na edição de 2011 foram lançadas pelo menos 136 HQs nacionais.

Um dos lançamentos que chegaram ao nosso conhecimento é Quando a noite fecha os olhos, obra independente que marca a primeira parceria de André Diniz (roteiro) e Mario Cau (arte). O prefácio é de Laudo Ferreira Jr.

Segundo a sinopse, “Camilo leva a vida adiante, uma vida que não sabe mais se é sua. Uma vida sem luz, onde o Sol não nasce e onde as únicas vozes que ele consegue ouvir são ecos de seu inconsciente”. Na definição de Cau, é “um drama cotidiano estilo slices-of-life”.

Quando a noite fecha os olhos tem 72 páginas, capa colorida e miolo preto e banco. O preço não foi divulgado.

Papo de Quadrinho visitou a Nostalgia Comics, em Birmingham

Moderno e vitoriano se confundem na paisagem de Birmingham

Uma das vantagens de visitar um país como a Inglaterra é a possibilidade de vivenciar o entretenimento e a Cultura Pop em sua forma mais organizada e destacada.

Em Birmingham, um dos berços da revolução industrial, cidade natal da banda Black Sabbath e dos estudos acadêmicos sobre subculturas, encontramos a segunda loja mais antiga da Inglaterra: a Nostalgia Comics.

Nostalgia Comics

Nostalgia, só no nome. A loja é moderna, ampla e com muitas novidades

Não se deixe enganar pelo nome. A Nostalgia & Comics é muito bem aparelhada, com todas as novidades da Cultura Pop. Num amplo espaço é possível encontrar o que há de mais interessante em termos de colecionáveis e quadrinhos.

Amplo espaço da Nostalgia: organização e atendimento nota 10

Amplo espaço da Nostalgia: organização e atendimento nota 10

A loja oferece os principais lançamentos em quadrinhos, action figures, pôsteres, camisetas, chaveiros, adesivos, acessórios etc. Depois de 40 minutos com o olhar preso olhando nas novidades em HQs, este editor se perdeu na loja tentando encontra um único ponto de destaque, mas foi impossível.

birmingham3

Espaço reservado aos ilustradores locais

Talvez esses destaques sejam as graphic novels (que na prática é o termo usado para todos os encadernados aqui). Quando se trata desse tipo de HQ, a Inglaterra tem uma relação muito especial e uma diversidade de lançamentos e material tão grande que é difícil localizar alguns itens sem ajuda de um funcionário, por mais organizada que seja a loja.

Dá para supor que a maioria dos quadrinhos lançados em linha (sejam ou não de super-heróis) se transformam em encadernados, além, claro, das edições especiais. Isso configura um modelo diferenciado na forma como as Bibliotecas oferecem quadrinhos para o público – isso será tema de outro post mais para frente.

 

birmingham2

Destaques e lançamentos que fizeram este editor se perder

birmingham5

O capricho nas fichas de catalogação diz muito sobre a loja

O segundo andar da Nostalgia Comics é dedicado aos quadrinhos mais antigos, principalmente aqueles de linha reunidos manualmente e vendidos em arcos fechados, prática idêntica à de sebos e de algumas lojas de São Paulo e Porto Alegre.

Esse capricho em organizar arcos de histórias em saquinhos plásticos facilita a procura. Mas se você não achar “aquela” HQ, basta falar com os proprietários. O atendimento é outro ponto alto da Nostalgia. Eles são solícitos, atenciosos, gentis, pacientes e prestativos. Até aceitaram gravar um vídeo curtinho especialmente para nossos leitores aqui no Brasil:

Os preços praticados pelas principais lojas de quadrinhos e colecionáveis no Reino Unido não são abusivos, mas a Nostalgia Comics é comumente elogiada por praticar preços um pouco mais baixos do que as concorrentes em alguns itens – talvez por não estar localizada na capital, Londres.

Sejam quais forem os motivos, valeu a visita! E fica aqui nossa dica para quem puder conhecer mais esse templo da Cultura Pop: um lugar para fazer amigos, ficar por dentro das novidades e lançamentos e levar o visitante falência – ou, se você não tiver dinheiro como nós, vai ficar mesmo é deprimido :-)

Embalado pelo anime, “Parasyte” chega ao Brasil pela JBC

Parasyte-jbc

Em meio ao lançamento de tantos mangás bons neste ano – Terraformars, Éden, Planetes, Tokyo Ghoul – uma aposta da JBC se destaca: Parasyte, de  Hitoshi Iwaaki.

Publicada originalmente no Japão de 1988 a 1995, a história ganhou versão animada no ano passado pelo estúdio Madhouse – o que pode explicar a decisão da editora de trazer o material para o Brasil quase 30 anos depois.

Na trama, parasitas criados aparentemente com a missão de controlar os danos causados pela Humanidade ao meio ambiente, começam a controlar parte da população a partir da invasão do cérebro e a se alimentar de outras pessoas. No caso do jovem estudante Shinichi Izumi, algo inusitado acontece e o parasita se aloja em sua mão direita.

A partir daí, os dois seres passam a viver uma relação conflituosa, porém simbiótica, em que um precisa do outro para sobreviver. Não bastassem as complicações naturais dessa situação, Shinichi ainda precisa enfrentar outros humanos tomados por parasitas que o consideram uma aberração.

Parasyte chama atenção pelo contraste. Momentos hilários de Shinichi dialogando com a mão monstruosa e seus esforços para escondê-la intercalam-se com outros de terror, canibalismo e tensão. A arte de traços simples e limpos em nada denuncia o caráter sangrento da obra, e provoca ainda mais estranheza para o leitor.

O mangá foi lançado no Brasil em setembro, durante a Bienal do Rio de Janeiro, e já é possível encontrar até o volume 2 em bancas de jornal de algumas regiões. Se você é um leitor habitual de mangás, provavelmente não deixou passar em branco esse lançamento; se não o é, esta é uma boa oportunidade para se deixar seduzir pelo gênero.

Parasyte é composto de 10 volumes com média de 230 páginas cada, tem formato de 13,5 x 20,5 cm, papel offset e preço de R$ 16,90. A distribuição é setorizada, e a periodicidade, mensal. Recomendadíssimo!

Papo de Quadrinho viu: The Doctor Who Experience

abre
O Papo de Quadrinho teve o prazer de viver uma experiência especial para qualquer fã: visitar a Doctor Who Experience na cidade de Cardiff, no País de Gales.

Para não deixar na mão quem conhece a série só de ouvir falar, vai aqui um resumo: Doctor Who é um verdadeiro ícone da ficção científica inglesa e mundial. Criada em 1963, está no Guinness World Records como a série televisiva de ficção científica de mais longa duração no mundo. Embora seja relativamente nova para o público brasileiro, o número de fãs da série não para de crescer, graças, entre outras coisas, a bons sites especializados como o Doctor Who Brasil.

O Doutor (Doctor) é um “Senhor do Tempo”, um alienígena capaz de viajar através do tempo e do espaço em sua T.A.R.D.I.S. (Time And Relative Dimensions In Space), uma nave que chegou ao nosso planeta nos anos 1960 e tem a curiosa forma de uma cabine policial britânica.

TARDIS de 1963

TARDIS de 1963, uma nava clássica cuja camuflagem continua.. quebrada

Para manter a série viva, toda vez que é necessário trocar o ator que interpreta o personagem principal o Doctor sofre uma regeneração,  poder fictício que faz com que ele mude a aparência, atitude e temperamento, mas mantendo sua memória intacta. Depois de mudar treze vezes, atualmente a série Doctor Who está em sua nona temporada e o 13º Doctor é vivido pelo ator escocês Peter Capaldi.

The Doctor Who Experience: maior por dentro

O interior da 1a TARDIS - Maior por dentro

Painel de controle de uma versão da TARDIS

O museu The Doctor Who Experience reúne toda a memorabília da série, como maquetes, cenários, fotos, personagens, figurinos e roteiros originais, divididos em dois andares. É um grande galpão cinematográfico, que retrata desde a série clássica até a moderna, com vários objetos dos recentes episódios.

silencio

Uma vista do Museu no 2º andar. Não lembro de ter feito essa foto…

Chegar a Cardiff é tranquilo. Se você vier de Londres, pode escolher entre ônibus e trem. A cidade é pequena e aconchegante, e como em todos os lugares do Reino unido que conhecemos é tudo bem sinalizado e fácil de achar, sempre com opções de transporte. Se você decidir comprar o ingresso antes das 15h, será guiado por uma narrativa interativa.

A vilania da gálaxia está presente

A vilania da galáxia está presente dos vilões esporádicos aos mais assíduos

Difícil indicar um destaque entre tantos objetos especiais. Há personagens incríveis, como Daleks, Silence, Cyberman, Sontarans, bom como o figurino de todos os doutores e suas inúmeras (os) acompanhantes e heróis coadjuvantes. São tantos fragmentos da série clássica e moderna que não tem como um fã não se emocionar.

O que você pensa quando vê um Dalek?

O que você pensou quando viu essa foto?

Cyberman - sim eram bem toscos!

Cyberman – sim eram bem toscos no começo!

final do passeio, como em todo museu no Reino Unido, se dá numa lojinha que vai deixá-lo mais nervoso do que um encontro com os Weeping Angels. O local tem itens exclusivos, camisetas, DVD´s, livros, pôsteres, bonecos, etc, etc. Controle os nervos e procure seu item favorito, porque tem para todos os bolsos. O melhor é que os valores não são abusivos se compararmos a outras lojas de colecionáveis do Reino Unido. 

O veredito é simples: é um museu fantástico! Nós tentamos levar um pouco desse gostinho nesses vídeos e fotos. Se você é apaixonado por essa série seminal da BBC, dê uma esticadinha até a simpática cidade de Cardiff e visite o lugar. É fácil de localizar. o preço é honesto e tem desconto para estudantes.

Localizamos a verdadeira TARDIS estacionada na Baía de Cardiff

Localizamos a verdadeira TARDIS estacionada na Baía de Cardiff

Para quem não conhece a série ou quer saber um pouco mais, recomendamos esse podcast do Rapadura Cast sobre os 50 Anos do bom Doutor: um bate papo sobre os personagens, cronologia e dicas (quase) sem spoilers de como se iniciar nesse incrível universo. O Papo de Quadrinho ainda vai fazer algumas resenhas sobre livros e HQs da série. Aguarde!

Para fechar, muitas fotos desta reportagem serão postadas diariamente em nosso Instagram. Dê uma conferida e fique por dentro desta e de outras novidades que lançamos por lá. Geronimoooo!!!

Vale o investimento: “Steampunk Ladies”, da editora Draco

steampunk

Histórias de faroeste protagonizadas por mulheres não são uma novidade, mas ainda são raras. É este caminho pouco convencional que Steampunk Ladies – Vingança a Vapor escolheu trilhar, com resultado surpreendente.

A trama se concentra em duas desconhecidas, Rabiosa e Sue, unidas pelo destino e pelo desejo de vingança por Lady Delillah e seu bando, os irmãos Bolton. Cada uma das heroínas cruzou o caminho dos malfeitores em diferentes momentos de suas vidas e tiveram que amargar enormes perdas. Unidas acidentalmente, elas percebem que têm mais chance de enfrentar o inimigo comum e impedir o fantástico assalto a um trem blindado.

O roteiro de Zé Wellington é muito bem construído, sem sobressaltos e diálogos que soam naturais. Wellington mostra que é um escritor versátil. Seu trabalho anterior, Quem Matou João Ninguém? se passa num cenário tipicamente brasileiro e se apoia numa estrutura narrativa não linear.

Em Steampunk Ladies, o autor preferiu o ambiente clássico do faroeste: cidades pequenas, amplos desertos, abismos inexpugnáveis. O roteiro é linear, com flashbacks que funcionam de forma orgânica, e lembra alguns bons filmes do gênero.

O desenho de Di Amorim, a finalização de Wilton Santos, cores de Ellis Carlos e diagramação de Deyvison Manes formam um conjunto harmonioso, funcional e agradável.

A editora Draco acerta mais uma vez em apostar em autores nacionais e numa edição caprichada. Em termos de qualidade – de roteiro, arte, produção editorial e gráfica – Steampunk Ladies não perde em nada para álbuns norte-americanos e europeus.

A diferença é que, se houvesse aqui uma indústria de quadrinhos como a daqueles países, Rabiosa e Sue teriam toda condição de estrelar novas aventuras em mais álbuns ou, até, num título mensal de banca. Potencial para isso, tanto as personagens como seus criadores mostraram que têm.

Steampunk Ladies tem 72 páginas, formato 17 x 24,5 cm, capa e miolo coloridos e preço de R$ 34,90. Vale o investimento.

Papo de Quadrinho é um blog da Revista O Grito!. Todos os direitos reservados. © 2013–2016